Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 24 DE JANEIRO DE 2018

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  23/01/2018   Via Varejo testa novo modelo de entrega para economizar no frete - Frete grátis é uma das frases mais atraentes para um consumidor ao faz...     23/01/2018   Volkswagen Caminhões e Ônibus lança campanha com clientes na Argentina - “O combo perfeito”. Assim o empresário Gustavo Daniel Petetta de...     23/01/2018   TCU deve liberar leilão de 4 terminais portuários - Quatro terminais portuários que o governo pretende conceder devem ter seus estudos de...     23/01/2018   Alstom adaptará o sistema de sinalização da futura extensão da Linha 9 da CPTM de São Paulo - A Alstom fará a modificação do sistema de s...     23/01/2018   Mobilidade. O transporte ideal para Fortaleza - Fortaleza tem dois traçados de infraestrutura ferroviária em pleno funcionamento para o t...     23/01/2018   Juntas, ADM e Bunge alcançariam a líder global Cargill - A proposta de fusão de US$ 30 bilhões entre a Archer Daniels Midland (ADM) e sua...     23/01/2018   Metrô inaugura a Estação Higienópolis-Mackenzie da Linha 4-Amarela - Foi inaugurada nesta terça-feira (23) a Estação Higienópolis-Mackenz...     23/01/2018   Mercado de caminhões inicia 2018 com previsão otimista - O mercado de caminhões começou melhor neste ano, conforme o supervisor de vendas...     23/01/2018   O quebra-cabeças da Toyota - Durante os últimos anos, as notícias relacionadas às estratégias de produção das montadoras de automóveis se...     23/01/2018   Mercedes-Benz fornecerá 905 micro-ônibus rodoviários ao governo de Minas Gerais - A Mercedes-Benz fornecerá 905 micro-ônibus rodoviários ...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

13/01/2018

MOBILIDADE

Logística

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

Porto alegre | MOBILIDADE

Faixas para bikes: populares, mas malcuidadas

CICLISTAS RECLAMAM DE BURACOS e da falta de poda de árvores nos caminhos de quem pedala

Bruna Vargas

bruna.vargas@zerohora.com.br

Não é preciso ser especialista para perceber que Porto Alegre, cada vez mais, se movimenta de bike. Se o que se observa é um maior número de ciclistas circulando, especialmente na região central, por outro lado, a infraestrutura cicloviária parece longe de acompanhar o ritmo da vida sobre duas rodas. A falta de manutenção nas faixas exclusivas existentes incomoda usuários e, por vezes, transforma a opção mais segura para a circulação dos ciclistas em gatilho de insegurança.

- As ciclovias e ciclofaixas não recebem manutenção, assim como as calçadas de Porto Alegre. A importância que as ciclovias têm é que são feitas para quem quer pedalar e não se sente seguro em circular com os carros. Às vezes, são feitas de maneira equivocada, mas trazem ciclistas - avalia Tássia Furtado, ativista e integrante da Associação Pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (Mobicidade).

A léguas de completar os 495 quilômetros de travessias previstos, o Plano Diretor Cicloviário conta com pouco mais de 46 quilômetros de faixas exclusivas, que deixam a desejar em boa parte dos trechos já implantados. Uma das mais usadas, a da Avenida Ipiranga ostenta rachaduras em diversos pontos, além de ser praticamente uma corrida de obstáculos: há árvores e estruturas de concreto que ocupam quase toda a faixa, e a falta de poda faz com que os galhos mais compridos virem um empecilho a mais para quem circula.

Em nota, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que "o serviço de manutenção das ciclovias é realizado segundo solicitações, seja da área de planejamento ou demanda externa. A execução da manutenção também depende da definição de prioridade e disponibilidade de material e equipamentos".

PAVIMENTAÇÃO NÃO

DEVE SOFRER MUDANÇAS

Segundo o órgão, a tinta vermelha nas ciclovias da Ipiranga e da José do Patrocínio não é mais usada para cobrir as faixas, "apenas no reforço de sinalização", mas não há previsão de alteração no pavimento já instalado. Para as rachaduras "significativas", conforme a EPTC, é solicitado reparo junto à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade (Smim). "Vale lembrar que não são todas as rachaduras que necessitam de reparo", destaca o texto.

Responsável pelas podas, a Secretaria de Serviços Urbanos informou desconhecer a realização deste tipo de serviço nos vegetais que ladeiam as ciclovias e ciclofaixas. Conforme o secretário Ramiro Rosário, a prefeitura deve lançar uma licitação até o fim do mês para terceirizar o serviço, que está sem contrato desde 2014. Estão sendo priorizados atendimentos de emergência e árvores com risco de queda.

- É possível que nunca tenha sido feito. Tem casos de podas que as pessoas aguardam anos e não são realizadas, porque as equipes não têm condições de atender todas as demandas. Estamos focando em situações emergenciais, como árvores que oferecem risco de queda, que podem machucar uma pessoa, oferecem risco ao patrimônio. As ciclovias são uma demanda que não havia chegado. Vou pedir para que façam um levantamento sobre isso - disse Rosário.

"Prefiro andar sempre na ciclofaixa", diz estudante

Usuário assíduo das ciclovias e ciclofaixas da Capital, por onde passa diariamente para ir à faculdade e realizar atividades pessoais, o estudante Viktor Leon, 21 anos, tomou um susto durante seu trajeto meses atrás. A metros de chegar a seu destino pela ciclovia da Avenida Loureiro da Silva, sentiu o pneu esvaziar ao passar por despejo de concreto no meio da faixa exclusiva:

- Estava indo para a faculdade, distraído, quando furou o pneu. Acho fantástico que tenha um espaço separado para o ciclista, porque entre os carros é difícil circular, mas alguns pontos têm defeitos que não permitem que o ciclista trafegue com tranquilidade.

Como pedalava em uma bicicleta do BikePoa, conseguiu resolver o percalço sem precisar voltar para casa: empurrou a bike até a estação mais próxima, acionou o serviço para avisar do problema e conseguiu retirar outra, disponível na estação. Passou a redobrar a atenção no trajeto de ida - na volta para casa, já era obrigado a ficar ligado para não bater nos galhos baixos sobre a mesma ciclovia, no sentido contrário.

Apesar do incidente, o estudante, que se mudou de Santa Maria para Porto Alegre no começo de 2017, segue um entusiasta das faixas exclusivas da Capital.

- Prefiro andar sempre na ciclofaixa. É mais seguro, uma garantia de que não vou ter de enfrentar o carro. E Porto Alegre é perfeita para isso. Facilita muito o deslocamento na cidade - diz.

Conforme a EPTC, foi realizada uma vistoria na ciclovia da Avenida Loureiro da Silva, e o resíduo de concreto encontrado seria de uma obra particular. A remoção já foi solicitada, segundo o órgão.

Especialistas alertam para

a importância da segurança

Na Capital, boa parte das ciclovias e ciclofaixas são contrapartidas de obras realizadas na cidade. Além de ser uma das razões pelas quais o Plano Diretor Cicloviário se arrasta - há obras que levam anos até serem concluídas -, o modelo resultou em diversas faixas desconexas e impediu que se criasse uma padronização para as faixas exclusivas. Há diferentes tipos de pavimentos, tachões e guarda-corpos nos 46 quilômetros distribuídos pela cidade. Conforme a EPTC, o tipo de piso e o projeto de sinalização são definidos pelo órgão, e a prioridade nos próximos trechos a serem implantados devem ser as ligações entre as faixas já existentes.

Para especialistas, o dilema entre implantar estruturas de baixa qualidade ou aguardar para realizar um serviço melhor é pertinente. Fazer uma faixa exclusiva é uma sinalização de segurança, ou seja, um trajeto malplanejado ou mal-executado pode dar uma falsa informação ao ciclista, colocando-o em uma situação vulnerável. Ainda assim, haver uma estrutura segregada para a circulação mais segura em vias onde os carros circulam em velocidade acima dos 40km/h tende a ser mais vantajosa do que não ter a opção.

- A bicicleta é um modal com uma característica complicada para compartilhar espaço com automóveis. Nossas cidades não foram preparadas para o fluxo da bicicleta. Então, onde isso se mostrou viável, tem de ser mantido. É uma política pública importante - avalia Carlos Hardt, professor de gestão urbana da PUCPR.

Para ele, como as bicicletas exigem um piso mais regular do que o automóvel para a circulação, investir em um bom pavimento é o melhor jeito de garantir uma circulação segura e economizar na manutenção a longo prazo.

Coordenadora de mobilidade da WRI Brasil, Paola Manoela dos Santos diz que as faixas exclusivas são apenas parte da infraestrutura essencial para estimular o uso da bicicleta nas cidades:

- É importante que o ciclista tenha uma rede para circular em vias seguras, independentemente de ter ciclovia ou não, que tenha onde estacionar bicicletas, conectar com outros modais. A infraestrutura vai além da ciclovia.

A falta de estrutura está entre os problemas que mais afetam os ciclistas na Capital. Uma pesquisa sobre o perfil de quem pedala na cidade, realizada em 2015 pela Parceria Nacional Pela Mobilidade em Bicicleta, mostrou que 27% dos entrevistados consideram esse o principal entrave à vida de ciclista, atrás da falta de respeito dos motoristas (33,5%) e da falta de segurança no trânsito (28%).

CONTRAPONTO

O QUE DIZ A EPTC

(O órgão se manifestou por nota)

"A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) entende que toda a sinalização necessita de manutenção, e não é diferente com as ciclovias. Em janeiro de 2017, foram repintados os trechos das calçadas da ciclovia da Avenida Loureiro da Silva. Os reparos são mais frequentes no local em função do tipo de piso, com revestimento em basalto.

No momento, nossos equipamentos de pintura estão estragados, não possibilitando a execução de grandes trechos de linhas. Os mesmos foram enviados para conserto e, até o fim de janeiro, devem estar à disposição para retomar o trabalho de sinalização das ciclovias em trechos mais longos.

A sinalização dos cruzamentos da ciclovia da Avenida Loureiro da Silva está sendo repintada. Inicialmente, o trabalho será realizado no sentido bairro-centro e depois ampliado para os dois sentidos da ciclovia.

A prioridade são os cruzamentos por envolverem mais risco de acidentes graves. Ocorrências nesses locais podem envolver veículos, ciclistas e pedestres. Após a pintura dos cruzamentos, serão sinalizadas as calçadas.

Sobre o cronograma de manutenção, depois da Avenida Loureiro da Silva, o trabalho será realizado nas ciclovias da Avenida Érico Verissimo e, posteriormente, na José do Patrocínio."

 

Por Zero Hora - RS - Bruna Vargas

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

Via Varejo testa novo modelo de entrega para economizar no frete

Mobilidade. O transporte ideal para Fortaleza

Avançar: Infraestrutura de transportes é destaque do programa em 2018

Porto do Açu conclui negociações com a Petrobras Distribuidora para desenvolvimento de Truck Center

Aniversário da cidade de São Paulo: CCR AutoBAn estima a circulação de 785 mil veículos

Volkswagen Caminhões e Ônibus lança campanha com clientes na Argentina

TCU deve liberar leilão de 4 terminais portuários

Alstom adaptará o sistema de sinalização da futura extensão da Linha 9 da CPTM de São Paulo

Juntas, ADM e Bunge alcançariam a líder global Cargill

Metrô inaugura a Estação Higienópolis-Mackenzie da Linha 4-Amarela

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística